Um novo alvorecer


Quando eu sonhar,

que o sonho não seja apenas meu.

 

Que, a cada momento,

os tropeços da vida

Façam-me levantar a cabeça.

E, ao levantar,

ao meu lado, esteja o outro:

mão estendida,

palavra no olhar,

gritando o meu nome,

num chamamento

de voltar à estrada.

 

Vai ser sempre assim.

 

E, mesmo no dia do meu descanso,

que eu repouse pensando

que o construído

ainda está por se construir.

 

E que o sol poente,

invadindo meus olhos esperançosos,

Diga-me

que haverá um amanhã,

na passagem da noite.