Diante de Minha Consciência


Manoel Jesus

manoel@atlas.ucpel.tche.br

Atropelado pelo Espírito Santo

O Pregador. Conseguira este apelido quando Alceu ainda vivia e brincava que ele é que deveria ter dirigido os destinos do grupo dos Vinte e Um. Ficara ajudando o Homem durante o tempo em que vivera. Depois, retornou à casa de seus pais, disposto a apenas ler e aproveitar o sítio dos Rodrigues. Mas O Eterno Descanso tinha outros planos. Iniciou numa palestra para estudantes que haviam lido Nos Braços do Eterno Descanso e Que seja em Nome de Deus. Depois, tudo foi se atropelando. A grande encruzilhada acabou sendo o encontro com um funcionário de uma televisão. Depois disto, queria reencontrá-lo, mas ele desaparecera. Sabia que tinha que encontrá-lo. Mas, por quê?

Qual era a próxima cena

Subiu ao palco e sentiu que, ali, estava uma situação diferente do que estava acostumado a fazer. Até então se colocara diante de pequenas platéias, normalmente em auditórios de escolas, clubes ou igrejas A imensidão do estádio o assustava. Mas estava certo de que a pregação seria diferente. Não sabia porque, mas tinha a premonição de que estava dando um passo em direção ao Eterno Descanso. Pediu sua bênção e foi em direção à mesa. Neste momento, as luzes se apagaram, restando apenas um facho de luz que caia sobre ele. As palmas transformaram-se num ensurdecedor trovão, que o assustou.

Era a primeira vez que os grupos dos Vinte e Um promoviam um encontro em nível nacional. O apelo feito teve um retorno significativo. Mais de 20 mil pessoas estavam acomodadas no estádio.

O convite feito a Ângelo tinha o sentido de valorizar quem acompanhara Alceu até o final de sua vida. Pelo sistema de som, a música começou a tocar. Só falta ser uma marcha militar – pensou. Não era. A suavidade da orquestra foi silenciando a platéia. Esperou algum tempo e falou:

- Não tenho o direito de brincar com vocês. Afinal, alguns vieram de muito longe para ouvir o que o Eterno Descanso tem a lhes dizer. Quando subi a este palco, pedi sua bênção para poder dizer o que Ele quer que lhes diga. Tenham paciência comigo, não sou um pregador, sou apenas alguém com uma incrível vontade de viver e arrastar comigo as pessoas para que também possam viver. Pensei valer-me de uma história bem simples para poder explicar o que Alceu me ensinou. Foi ele quem contou, sem saber a sua origem.

- “Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo, um homem sentou e observou a borboleta por várias horas e com atenção verificou o quanto ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.

Então, pareceu que ela parou de fazer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais longe. Então, o homem decidiu ajudar a borboleta. Pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo.

A borboleta então saiu facilmente. Mas, seu corpo estava murcho e era pequeno demais e tinha as asas amassadas.

O homem continuou em sua observação porque esperava que a qualquer momento suas asas abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo, que iria se afirmar a tempo.

Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e as asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendia que o casulo apertado e o esforço que a borboleta fazia para passar através da pequena abertura era o modo com que Deus fazia com que o fluído do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de maneira que ela estaria pronta para voar, uma vez que estivesse livre do casulo.

Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida.
Eu pedi Força...e Deus me deu Dificuldades para me fazer forte.

Eu pedi Sabedoria...e Deus me deu Problemas para resolvê-los.

Eu pedi Prosperidade...e Deus me deu Cérebro e Músculos para trabalhar.
Eu pedi Coragem...e Deus me deu o Perigo para superar.

Eu pedi Amor...e Deus me deu Pessoas com Problemas para ajudar.
Eu pedi Favores...e Deus me deu Oportunidades.

Eu não recebi nada do que pedi...

Mas recebi tudo de que precisava!!!”

Ergueu as mãos em direção da assistência que o escutava em absoluto silêncio, como se fosse dar uma bênção.

- E esta é toda a mensagem de que precisamos: Nós recebemos tudo de que precisávamos! Agora é fazer caminho!