Oficinas de texto



Responsável: Manoel Jesus
Clientela: Alunos de Jornalismo e Relações Públicas
Nº de vagas: 25 Mínimo: 20 Máximo: 30
Período de inscrição: 10 a 25 de agosto de 2001.
Local de inscrição: ATC 2001/2 de Comunicação
Data de realização: - 01 de setembro de 2001
Horários previstos: sábados – 9 às 12h e das 13h30min às 18h30min
Local de realização: Salas de aula do Campus II

Justificativa:
Os alunos destas áreas sentem necessidade de trabalhar seu texto e técnicas de descontração, juntamente com interpretação.

Objetivos:
Geral
Melhorar o desempenho dos futuros profissionais nas áreas de texto e expressão.

Específicos:
O aperfeiçoamento do texto.
O aprimoramento da interpretação e expressão.

As Oficinas de Texto utilizam elementos do Jornalismo (muitos são alunos desta área, ou de Relações Públicas), assim como o cuidado com a comunicação interpessoal e o conhecimento da diferença de textos.

A discussão inicia com a apresentação do presente texto, depois os alunos são convidados a escrever seu próprio texto, a partir de um elemento motivador - foto, vídeo, música, pequeno texto. Aqueles que se dispuserem poderão apresentar seus textos.

O passo complementar  é, a partir de parábolas, organizar grupos que representem os textos.


Organização do texto

“Um bom texto depende, antes de qualquer coisa, de clareza de raciocínio e domínio do idioma. Não há criatividade que possa substituir esses dois requisitos. Deve ser um texto claro e direto. Deve desenvolver-se por meio de encadeamentos lógicos. Deve ser exato e conciso.

Deve estar redigido em nível intermediário, ou seja, utilizar-se das formas mais simples admitidas pela norma culta da língua. Convém que os parágrafos e frases sejam curtos e que cada frase contenha uma só idéia. Verbos e substantivos fortalecem o texto, mas adjetivos e advérbios, sobretudo se usados com freqüência, tendem a piorá-lo.

 O tom dos textos deve ser sóbrio e descritivo. Mesmo em situações dramáticas ou cômicas, é essa a melhor maneira de transmitir o fato da emoção. Deve evitar fórmulas desgastadas pelo uso e cultivar a riqueza dos vocábulos acessíveis à média dos leitores.” (Manual de Redação da Folha de São Paulo – 1994)

 

A base do texto, a notícia

É o relato de um fato que se deseja destacar e informar, por ser de interesse de um grande número de pessoas. Sua apresentação deve ser feita de forma clara e concisa.

Três podem ser as fontes que lhe passam a notícia:

- Os próprios fatos - quem conta acompanhou;

- Testemunhas e protagonistas dos fatos - alguém lhe conta;

- Documentos escritos ou impressos sobre os fatos.

 

Como Redigir a notícia:

Tente, na maior parte das vezes, responder às seguintes perguntas:

- O quê aconteceu?

- Quem é o protagonista?

- Como aconteceu?

- Quando aconteceu?

- Onde aconteceu?

- Por quê aconteceu?

 

Sua notícia terá três partes:

- O título - ou assunto

- O lide - abertura da matéria - que resume o mais importante da informação. De preferência, já respondendo às questões quem, onde, o quê e quando.

- O corpo da matéria - onde se detalham os fatos. Vem a reposta ao como e o por quê.

 

Quando é necessário fazer uma entrevista:

Podem ser de três tipos

- Informativa - coleta de dados e informações para um relato.

- Temática - serve para aprofundar um tema, pergunta pelos porquês e suas repercussões.

- Perfil humano - torna pública a ocupação, a vivência, as idéias e emoções de uma pessoa ou personagem pública que é considerada relevante.

 

Antes

- Escolha adequadamente quem vai entrevistar.

- Informe-se a seu respeito.

- Tenha clareza sobre o tema da entrevista.

- Contate o entrevistado com antecedência.

- Prepare uma relação de questões a serem colocadas.

 

Na entrevista

- Estimule o entrevistado.

- Observe o perfil e a personalidade de quem entrevista.

- Seja flexível.

- Se possível, grave a entrevista.

- Quando não é possível, leve alguém que anote, enquanto você conversa com o entrevistado.

 

Opinião  

É uma forma jornalística que um grupo ou pessoa usa para expressar seu pensamento ante uma realidade - expressa juízos de valores.

Pode ser um

Comentário - a opinião especializada de um autor sobre algum tema ou fato.

Editorial - a opinião oficial do veículo de comunicação.

Coluna - o ponto de vista de alguém que mantém um espaço fixo no jornal.

 

Para que serve?

Para abrir espaço de participação para diferentes pessoas ou setores.

 

Recomenda-se que tenha:

Uma introdução - onde é apresentado, resumidamente, o tema a ser enfocado.

Análise - que responda ao por quê do assunto que se comenta.

Conclusão - sintetiza o assunto tratado e propõe soluções alternativas.

Concentre-se numa idéia, numa mensagem concreta, simples, para que quem lê o comentário ou coluna possa lembrá-la.

 

A sua comunicação pessoal

A oratória é uma forma de comunicar-se em que o orador transmite sentimentos e emoções que se relacionam com aquilo que está fazendo. Pode despertar tanto simpatia ou apoio como indiferença e desconfiança. Tudo depende da sinceridade e convicção do orador.

 

Recomendações:

- Palavras concretas, diretas, facilitam a leitura e compreensão.

- Frases curtas.

- Leia muito.

 

Estilo:

- Não tenha medo de iniciar seu estilo, não tendo estilo.

- Pode ser: sério, informal, amistoso, impessoal, humorístico, irônico, irreverente, etc.

- Leve em conta o público que quer atingir:

   Identidade do grupo que emite a mensagem.

   Conhecer o destinatário. Interesses, linguagem que usa.

 

Fundamental de se ter em vista:

- Conhecer bem o assunto – revisar as informações que se tem a respeito.

- Organizar apropriadamente o discurso – introdução, corpo e conclusão;

- Manter a atenção de quem ouve  - temas de interesse, estabelecer clima agradável, gestos, tom de voz e uma boa pronúncia;

- Convencer os ouvintes – discurso convincente, sincero, ilustração;

- Estabelecer parceria, transformar quem ouve em aliado.

- Correção x linguagem popular;

- Permanente atualização das informações da Igreja e da sociedade;

Leitura.

 

O que valoriza sua comunicação

- Mensagem otimista

- Criatividade

- Clareza de pensamento

- Mensagem adequada ao público

- Comunicação não-verbal adequada à fala

- Voz audível

- Boa dicção

- Presença de espírito quando errar

- Boa interação com o grupo

- Manter o contato olho-no-olho

- Postura ereta

- Sorriso natural

- Ser espontâneo  

- Boa percepção de tempo

 

O que prejudica a sua comunicação

- Voz excessivamente alta
- Voz excessivamente baixa
- Cacoete (mexer relógio, abotoar e desabotoar a roupa, pôr e tirar óculos etc.)
- Gestos repetidos (a mão nos cabelos, coçar o nariz, passar a língua nos lábios)
- Manter uma mesma postura (braços cruzados, cabeça baixa)
- Demonstrar falta de preparo
- Discurso longo demais
- Sinais de nervosismo
- Olhar apenas uma pessoa
- Falta de preparo
- Desculpar-se com a platéia
- Confessar seu nervosismo