Os dois cavalos


Na estrada de minha casa havia um pasto. Dois cavalos vivem lá.

De longe, parecem cavalos como os outros, mas, quando se olha de perto, percebe-se que um deles é cego.

Contudo, o dono não se desfez dele e arrumou-lhe um companheiro, um cavalo mais jovem.

Isto já é de se admirar, mas, se observar, ouvirá um sino.

Procurando de onde vem o som, verá que há um pequeno sino no pescoço do cavalo mais novo.

Assim, o cavalo cego sabe onde está seu companheiro e vai até ele.

Ambos passam os dias correndo e no final do dia o cavalo cego segue o companheiro até o estábulo.

E você percebe que o cavalo com o sino está sempre olhando se o outro o acompanha e, às vezes, pára para que o outro possa alcançá-lo.

E o cavalo cego guia-se pelo som do sino, confiante que o outro o está levando para o caminho certo.

Como o dono desses dois cavalos, Deus não se desfaz de nós só porque não somos perfeitos, ou porque temos problemas ou desafios.

Ele cuida de nós e faz com que outras pessoas venham em nosso auxílio quando precisamos.

Algumas vezes somos como o cavalo cego, guiados pelo som do sino daqueles que Deus coloca em nossas vidas.

Outras vezes, somos o cavalo que guia, ajudando outros a encontrar seu caminho.

E assim são os bons amigos. Você não precisa vê-los, mas eles estão lá.

Por favor, ouça o meu sino. Eu também ouvirei o seu.