Pensamento da Igreja sobre Comunicação


 

João Paulo II: “O primeiro areópago dos tempos modernos é o mundo das comunicações, que está a unificar a humanidade, transformando-a - como se costuma dizer - na ‘aldeia global’. Os meios de comunicação social alcançam tamanha importância que são para muitos o principal instrumento de informação e formação, de guia e inspiração dos comportamentos individuais, familiares e sociais”.

 

São Domingos - 1992 - Opção pastoral “uma moderna Comunicação”;

 “Uma preparação específica, que permita evitar as improvisações lamentáveis assim como os efeitos espetaculares de má qualidade”. (Educação para a Comunicação, 11)

“Entre as falhas mais sentidas, estão o uso de uma linguagem descontextualizada e hermética, que não respeita a realidade dos interlocutores nem a linguagem própria de cada meio, e a repetição de ultrapassados métodos de evangelização que perderam sua força expressiva na atual era da comunicação” (Educação para a Comunicação, 11).

 

35a Assembléia Geral da CNBB - “Igreja e Comunicação Rumo ao Novo Milênio” - 1997

Rever os modelos e práticas de comunicação da Igreja no Brasil, tanto no campo das relações interpessoais, grupais e organizacionais, quanto no uso dos instrumentos ou meios de comunicação, na tarefa evangelizadora, e assumem os seguintes compromissos:

- Espiritualidade do comunicador cristão

- Fundamento ético para a Pastoral da Comunicação

- Protagonismo dos leigos no campo da comunicação

 

Hoje a Igreja quer:

1.         repensar sua imagem pública.

2.         Planejamento estratégico e participativo.

3.         Planejamento da comunicação organizacional.

4.         A necessidade de pesquisa.

5.         Restabelecer a unidade institucional.

 

Alguns elementos:

1. A Celebração como um espaço privilegiado de comunicação.

2. Cuidado com a linguagem – o simbolismo – os espaços físicos, os gestos, as cores, a ornamentação, a palavra, o canto.

3. A homilia está exigindo cuidado especial do ponto de vista comunicacional. É essencial rever e estudar como é preparada, sobretudo a linguagem e capacidade de reter a atenção, evitando que se torne um momento enfadonho.

Formas alternativas de expressão: teatro, música, ritual.

Compromisso do cristão: valorização da vida, solidariedade e justiça.

 

Desafios para a comunicação local, hoje:

- Criar e fortalecer os meios de comunicação local;

- Ocupar espaços formais e informais para a comunicação local;

- Construir “pontes” entre as autoridades e a comunidade, eliminando os prejuízos e abrindo canais para uma saída negociada para os conflitos;

- Fortalecer as identidades locais positivas;

- Uso de novas tecnologias, sem desconhecer o valor dos costumes, ritos e celebrações;

- Cuidar de um financiamento compartilhado da comunicação, incluindo a contribuição parcial dos destinatários.

 

Bibliografia:

Comunicação Social na Igreja – Documentos fundamentais - Noemi Dariva (org.) – 2003

Novos púlpitos e novos pregadores – padre Zezinho – Paulinas – 2004

Comunicação na liturgia – Nereu de Castro Teixeira – Paulinas – 2003

Teologia da Comunicação – Felicísimo Martinez – Paulinas - 1997