Os ritos do coração


Ao sairmos de uma cerimônia de lembrança fúnebre da Maçonaria, Madalena perguntou sobre o que seria o meu próximo artigo. Ainda encantado com o que vira, ouvira e sentira, já tinha uma resposta, mesmo que não a tenha expressado verbalmente: sobre ritos. A necessidade que o ser humano tem de ritos – algo que o distingue, absolutamente, do gênero animal.

A primeira lembrança acaba sendo do Pequeno Príncipe de Saint Exupéry. É quando a Raposa diz que “o coração precisa de ritos”. Refiro-me ao trecho onde haviam combinado serem amigos. E marcaram um horário para o seu encontro, no dia seguinte. Só que o Pequeno Príncipe chegou mais cedo. Foi então que a Raposa reclamou: “Se tu vens às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz... Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar meu coração. É preciso que haja um ritual”.

Infelizmente, Madalena, esquecemos que “o coração precisa de ritos”. Seja nas nossas relações pessoais – é importante preparar o coração para a pessoa amada que vem; seja em nossa vida religiosa – e então há uma riqueza de elementos que nos cercam e nos indicam o sobrenatural.

Porque é para o rito que nos preparamos. E quando o realizamos, sentimo-nos satisfeitos, porque no balbucio de uma prece, no repetir de um gesto ou de um olhar, há um sentido. O sentido que alimenta nosso espírito. E, com certeza, nos coloca mais próximos do outro e de Deus.

Não é possível cansar do rito. Assim como não nos cansamos de dar e receber carinho. É uma necessidade básica. Pode-se cansar da forma como as coisas são feitas, da sonância falsa das palavras que são ditas sem emoção e tensão. Não posso e não devo participar do rito se não tenho certeza que meu coração também está presente.

Esta é uma armadilha que precisamos enfrentar: a não estar presente frente ao ser amado ou ao Infinito todo o nosso ser, não há como cumprir com o rito.

E, Madalena, pode ter certeza, hoje e sempre, há uma força que supera todo o nosso entendimento, quando nos deixamos levar pelos ritos do coração.