Deixe que voem os sonhos


Os pássaros voltaram

a migrar.

 

Passam, marcando a tarde,

em vôos majestosos,

bem longe,

despertando lembranças.

 

Se não houvesse

mais nada para lembrar,

teus olhos,

quando a tarde adormece,

guardando a doçura do

encanto,

seriam cinzéis

a delinearem imagens

em minha lembrança.

 

Os pássaros voltaram novamente.

Tu não voltaste.

E, da minha sacada,

contemplo perderem-se

no horizonte.

 

Talvez indo ao teu

encontro,

onde quer que estejas.