Um para de tênis


O pedido veio por jornal e pelo rádio (AM, embora alguns “especialistas” digam que ninguém mais ouve esta banda). Foi o suficiente: juntamos - minha família e alguns amigos - casacos, calças, camisetas, abrigos, pares de tênis e... chinelos de dedo. A campanha pedia qualquer tipo de roupa de uso pessoal e calçado, pois a procura era grande por parte de pessoas pobres e o estoque não era suficiente.

Olhando no armário, ali estavam chinelos de dedo de diversos tipos e cores! Manias de solteirão – pensei - pois alguns não eram usados há muito tempo e mesmo que já tivesse decidido fazer seleção e doação a acomodação falara mais alto. Pois a campanha veio exatamente para quebrar este ciclo e mostrar o quanto ainda tem pessoas carentes para as quais faz uma vasta diferença um calçado tão simples que, muitas vezes, sobra em nossos armários, sem uso e apenas ocupando espaços.

Num momento em que não somente os pobres de nossas cidades estão precisando de abrigos - pelo frio e umidade persistentes - mas também todos aqueles que sofrem em regiões como o Nordeste com a devastação das águas, a única diferença fica na capacidade de sermos solidários. Na rua pela qual passo todas as noites, ao voltar do trabalho, próximo a um posto de gasolina, sempre encontro um garoto pedindo esmolas, usando chinelos de dedo. Numa destas noites mais frias, ele parecia mais alegre e calçava, ao invés dos chinelos de dedo, um par de tênis. Não fazia parte do “pacote” de nossas doações, mas indicava que mais gente tinha se desacomodado para propiciar aquele pequeno “luxo”.

Nosso olhar pelas ruas e periferia quase sempre levam a pensar que esta obrigação não é nossa e deixar que os governos e instituições religiosas e sociais exerçam seu papel. Mas ao ver a diferença que fazia um velho e usado par de calçados, tive reforçada a minha intenção de manter mais vezes a rotina de averiguar o quanto é supérfluo em meu guarda roupa. Neste gesto simples, pode estar a diferença entre andar de pé descalços ou pisar firme no chão com um par de chinelos, no Verão, ou diminuir o frio, no Inverno, usando um simples par de tênis.