Um plantador de "acácias"


A estrada que liga a BR 392 a Morro Redondo é privilegiada pela quantidade de pés de acácia ali existentes. Na Primavera, sua flor faz com que se pare e aproveite, por alguns minutos, o aroma. Numa ocasião, pensei que pudesse levar um galho para casa e que o perfume permaneceria. Engano. Em seguida, ele sumiu. Mas, enquanto estava na árvore, atraia abelhas, que produzem um mel de excelente qualidade.

Foi por este caminho que fui a Morro Redondo, conversar com professores do Estado e do Município. Tema: “A Magia da Palavra”, focado na motivação profissional. Sempre pensei que havia diferença entre comunidades que têm predominância rural ou urbana, mas mudei de idéia: a realidade é próxima e é fácil encontrar professores desmotivados, jovens sem perspectivas e a droga. Na converso com professores utilizo um argumento que encontra eco: nossa responsabilidade diante das crianças e jovens é tripla - na maior parte das vezes são nossos familiares; somos cidadãos, com responsabilidade sobre o seu futuro; e somos professores, com a missão de encaminhar o seu processo de aprendizado profissional e de vida.

Nossa maior luta é, enquanto estão neste processo, mantê-los agregados e motivados para que não se sintam atraídos pela rua e seus subterrâneos e esquecer os benefícios que podem usufruir da escola/acácia. Mas também temos que cobrar da família e da sociedade o cumprimento de sua parte. Tem sido confortável para ambas omitirem-se e achar que a escola supre todas as carências. Não suprimos. Vamos ter é a compensação de um processo atrofiado, difícil de ser plenamente revertido.

O certo é que ninguém pretende enriquecer sendo professor. Mas fica a sensação de que, cumprindo a nossa obrigação, deixamos marcas, mesmo nos mais renitentes. E no caso do ensino superior, há uma diferença quando o aluno troca o nome próprio pelo de “professor”. Está formada a cumplicidade entre pessoas que entendem que precisam ter mentes abertas e, com serenidade, crescer na sua realização pessoal e profissional. Pode-se dizer: sou professor, por opção e por missão. Planto “acácias” e pretendo que suas flores tenham o melhor dos perfumes, aquele que transforma o Mundo.